Sir Arthur Conan Doyle e as fadas

Sir Arthur Conan Doyle e as fadas

Na primavera de 1920, após perder o filho e o irmão na Primeira Guerra Mundial, sir Arthur Conan Doyle ficou cada vez mais fascinado pela ascendente corrente do espiritualismo e interessou-se pelo caso das fadas de Cottingley. Mary Losure conta como o criador de Sherlock Holmes ficou convencido de que as “fotos de fadas” tiradas por duas garotas de Yorkshire eram reais.